sexta-feira, 4 de novembro de 2011

ETH Bioenergia inaugura usina de R$ 1 bilhão em Costa Rica (MS)

ETH Bioenergia, braço sucroenergético do Grupo Odebrecht, inaugurou na manhã desta quinta-feira (3/11) a oitava unidade de produção de etanol e bioenergia da companhia, no município de Costa Rica, interior de Mato Grosso do Sul. O investimento total é de R$ 1 bilhão nas áreas agrícola e industrial.

De acordo com José Carlos Grubisich, CEO da companhia, a nova unidade terá capacidade para processar 3,8 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por safra e gerar 380 gigawatts (GWh) de energia elétrica a partir do bagaço de biomassa. "Queremos e vamos ser líderes na produção de etanol no mundo. Esta é a nossa meta para os próximos anos", afirmou o executivo.

A unidade Costa Rica é o penúltimo investimento do grupo na região Centro-Oeste e faz parte de um plano traçado há quatro anos pela diretoria da Odebrecht no setor sucroenergético. Ainda este ano, a companhia vai inaugurar a unidade Água Emendada, em Goiás. 
Canaviais 
Segundo o presidente da companhia, a ETH priorizou, nos últimos três anos, a área de canaviais próprios. Ao todo, o grupo já possui 350 mil hectares de plantios de cana. "Com a unidade Costa Rica, soma-se a este número mais 110 mil hectares e, para a próxima safra, ampliaremos nossas lavouras em mais 120 mil hectares, em Goiás", afirmou. "A ETH vai encerrar a próxima safra de cana-de-açúcar com 550 mil hectares de canaviais próprios e, posteriormente, incentivaremos nossos parceiros produtores, de quem também compramos a matéria-prima".

Sobre tornar-se líder em produção de etanol (atualmente, o primeiro lugar é da Raízen-Cosan), a ETH vai, a partir de 2012, iniciar um plano de internacionalização da companhia. Grubisich afirmou que a empresa tem intenções de implantar unidades industriais na África (Angola e Moçambique), América do Sul (Colômbia) e na América Central (México). "Estamos mapeando as oportunidades", disse o executivo. Estas unidades, segundo ele, serão focadas no mercado norte-americano e no desenvolvimento de "químicas verdes". 
Política de incentivo

Para o senador Delcídio Amaral, que também participou da cerimônia de inauguração da unidade Costa Rica ao lado do governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, o setor sucroenergético brasileiro precisa de organização. Ele citou como pontos principais o desatrelamento do preço do etanol ao da gasolina, novas regras para os leilões de energia elétrica e a isenção tributária para o setor. "O etanol é a nossa maior riqueza, mas precisamos incentivar novos investimentos, montar uma pauta coerente", explicou.


O governador André Puccinelli afirmou que, no que depender de seus esforços, o etanol brasileiro será o combustível do futuro. "Só aqui no Mato Grosso do Sul nós já temos 24 usinas e precisamos de mais duas. No que depender deste governo, daremos todo o incentivo para novos investimentos. Aqui no meu estado, as licenças não encalham", disse o governador. "Se queremos ser empreendedores, precisamos ter o olhar do empreendedorismo e aqui nós fazemos isso com muita responsabilidade ao meio ambiente".

Fonte: Globo Rural

Nenhum comentário:

Postar um comentário