quarta-feira, 9 de maio de 2012

Concentração de frigoríficos reúne autoridades nacionais para debate na Acrissul




     

O domínio econômico exercido pelos maiores frigoríficos do país não é um problema novo, porém nunca foi deflagrado de forma concentrada e determinada como atualmente. De acordo com a diretoria da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), o dinheiro público está sendo usado para instalar um “monopólio selvagem”, baseado na compra de plantas em funcionamento para imediatamente fecha-las, ou até comprando algumas fechadas para mantê-las desativadas.



O dinheiro fácil vindo do BNDES é apontado como principal instrumento financiador das aquisições que estão trazendo um desequilíbrio para o setor. Além do impacto social, com um crescente número de desempregos diretos e indiretos, estas ações mercadológicas provocam um profundo prejuízo aos estados e municípios, alcançando toda cadeia do agronegócio.

A queda do faturamento do produtor, e a alta do preço final aos consumidores, são as principais consequências originadas do sistema desenfreado de compra, vindo de grandes grupos e conglomerados empresariais. Segundo Jonatan Barbosa, vice-presidente da Acrissul, o dinheiro público só deve ser destinado para uma boa política social e melhoramentos no setor.

“Lamenta-se que algumas entidades ainda não refletiram corretamente ao impacto social econômico que esta situação está provocando, mesmo assim resolvemos dar um grito de alerta para todo o território nacional, estamos trabalhando e conscientizando todos, para que possam comparecer no debate” aponta Jonatan.

Na ocasião será emitida a carta de Campo Grande, que será enviada a comissão de agricultura da Câmara Federal para que sejam tomadas as providências solicitadas, deverão participar do evento associações de criadores, empresários, políticos e autoridades que respondem pelos negócios da pecuária nacional.

O debate Pecuária X monopólio de frigoríficos, será realizado no dia 14 de maio, às 19h30, no tatersal 1 da Acrissul, mais informações: (67) 3345-4200.
Fonte: Acrissul

Nenhum comentário:

Postar um comentário