terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Como a safra recorde de grãos estimada influenciará os custos de produção da pecuária em 2013?



O Brasil deve colher uma safra de grãos recorde em 2013, de acordo com o 4º levanmento realizado pela Conab entre os dias 10 e 14 de dezembro/12. Está prevista uma produção de 180,4 milhões de toneladas, superando em 14,2 milhões de toneladas a safra 2011/12.
Esse desempenho positivo depende fundamentalmente de boas condições climáticas, uma vez que as principais lavouras de verão encontram-se em fase de desenvolvimento e floração. A previsão para a área plantada é de 52,0 milhões de ha, o que representa uma expansão de 1,1 milhão de ha sobre a safra passada, puxada principalmente pelo avanço da soja sobre as áreas de algodão e milho verão.
A soja também é destaque na produção, com um crescimento de aproximadamente 16 milhões de toneladas em comparação à safra 2011/12, que registrou forte quebra em razão dos problemas climáticos que atingiram importantes regiões produtoras.
Milho
A lavoura de milho plantada na safra brasileira de verão, com exceção dos estados de São Paulo, Bahia e Distrito Federal, perdeu espaço para a soja em todos os estados onde ocorreu a competição por área. O quarto levantamento da safra 2012/13, aponta para uma redução de 5,7%, saindo de 7.558,5 hectares ocorridos no exercício 2011/12, para 7.124,0 hectares na atual temporada.
A produção nacional de milho para a safra de verão tem previsão de atingir 34.730,6 mil toneladas, representando um incremento de 2,5%, comparado com o exercício anterior.
Soja
Com o plantio encerrado em dezembro/12, a quarta pesquisa da safra 2012/13 indica uma área de plantio em 27,35 milhões de hectares. Este resultado corresponde a um crescimento de 9,2%, ou 2,3 milhões de hectares superior à safra 2011/12, quando foram cultivados 25,04 milhões de hectares, constituindo-se na maior área cultivada com a oleaginosa.
A produção nacional, estimada em 82,68 milhões de toneladas, também recorde, é 24,5%, ou 16,3 milhões hectares superior ao volume colhido na safra anterior. Para a produtividade (quilos por hectare), foi adotada, ainda, a média dos últimos três anos, descartando-se as safras atípicas e adicionando o avanço tecnológico, exceção nos Estados da região Centro-Oeste, da Bahia e do Rio Grande do Sul, onde aslavouras estão em estágios mais avançados, nestas regiões foram adotadas as produtividades obtidas na pesquisa de campo.
Confirmando-se a área prevista e as condições climáticas favoráveis às lavouras, o que vem acontecendo até o momento, a produção poderá ser superior ao total estimado.
Fonte: FIESP/Deagro, Conab.

Nenhum comentário:

Postar um comentário