terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Embrapa lança duas cultivares de capim-elefante



Foram lançadas em 2012 pela Embrapa e parceiros duas cultivares de capim-elefante: BRS Canará e BRS Kurumi. A primeira é indicada para alimentação animal sob forma de capineira (área cultivada com gramíneas). Já a BRS Kurumi é indicada para pastejo direto por bovinos.

O desenvolvimento dessas duas cultivares forrageiras de capim-elefante teve a participação da Embrapa Cerrados, Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A Unidade, localizada em Planaltina (DF), desenvolve, desde 1997, avaliações de genótipos de capim-elefante obtidos pelo programa de melhoramento genético da Embrapa Gado de Leite (Juiz de Fora, MG), por meio da Rede Nacional de Avaliação de Capim Elefante (Renace). A rede integra instituições de pesquisa em 16 estados brasileiros.

“O trabalho de melhoramento genético da espécie busca oferecer alternativas de cultivares melhoradas de forrageiras tropicais para os pecuaristas brasileiros”, afirma o pesquisador da Embrapa Cerrados Francisco Duarte. Também participaram desse trabalho os pesquisadores Allan Ramos, Roberto Guimarães, Giovanna Maciel, Geraldo Martha, Gustavo Braga e Marcelo Ayres.

A BRS Canará foi lançada oficialmente no final de novembro, em Cáceres (MT), em conjunto com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT). Já a BRS Kurumi foi lançada em outubro, numa parceria com a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina, a Universidade Estadual do Norte Fluminense e a Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios. Mudas dessas cultivares podem ser obtidas nas unidades e parceiros que participaram dos lançamentos.

BRS Canará – apresenta porte alto, touceiras de formato semiaberto, folha de cor verde, bainha verde-amarelada e colmo de diâmetro médio. Possui propagação vegetativa por meio de estacas e é indicada para uso como capineira nos biomas Amazônia e Cerrado. Apresenta alta produtividade de forragem e é um importante recurso de baixo custo para intensificação da produção animal durante a época chuvosa. Também pode ser utilizada na produção de silagem para fornecimento de alimento durante a época seca do ano.

BRS Kurumi – apresenta touceiras de formato semiaberto, folha e colmo de cor verde e internódio curto. Apresenta crescimento vegetativo vigoroso com rápida expansão foliar, intenso perfilhamento e porte baixo. Também possui propagação vegetativa por meio de estacas e é indicada para uso forrageiro nos biomas Mata Atlântica, Amazônia e Cerrado. Possui alto potencial de produção de forragem com excelentes características nutricionais e facilidade de manejo devido ao seu porte baixo.

Fonte: Embrapa e resumido pelo blogueiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário