quarta-feira, 24 de abril de 2013

Entidades pedem garantia de preço mínimo do milho no MS



Preocupados com o mercado do milho em Mato Grosso do Sul, diante da perspectiva de excedente na produção estadual, com a previsão de colheita recorde na safra 2012/13, a Federação da Agricultura e Pecuária do MS (Sistema Famasul), a Associação dos Produtores de Soja e Milho do estado (Aprosoja/MS) e a Organização das Cooperativas Brasileiras no MS (OCB/MS) solicitaram a intervenção do Governo Federal, por meio dos instrumentos previstos no Programa de Garantia do Preço Mínimo (PGPM).


O PGPM foi lançado em 1966 pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e prevê a aquisição de produtos agrícolas que devem ser armazenados de forma segura e eficiente, para coibir desvios e manter a qualidade e quantidade dos produtos a serem lançados futuramente no mercado.


O mercado do milho apresenta excedente de produção devido às boas perspectivas da safrinha de milho, baixo consumo relativo e o déficit da armazenagem no Estado. Esta grande disponibilidade do grão já pressiona os preços pagos aos agricultores. “A tendência é de maiores quedas nas cotações do grão quando estiver próximo da colheita da safrinha”, ressalta o diretor executivo da Aprosoja/MS, Lucas Galvan.


De acordo com o último levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção da primeira safra de milho em MS atingiu 369,6 mil toneladas, a previsão é de que o milho safrinha totalize na atual temporada 6,235 milhões de toneladas. O estoque referente à produção do ano passado era de 350 mil toneladas.


Com isso, o total de milho disponível no mercado soma 6,954 milhões de toneladas. Como o consumo interno em 2013 deve ficar na ordem de 1,5 milhão de toneladas, o saldo excedente é de 5,45 milhões de toneladas.


Atualmente, a saca de milho está cotada a R$ 18, em média, no Estado. De acordo com Galvan, a média está acima do preço mínimo estabelecido por lei, que é R$ 17,46. Entretanto, com a evolução da safra, que tem perspectiva recorde, o valor tende a ser negociado em torno de R$ 15 a saca daqui pra frente.


Fonte: Famasul e adaptado pelo blogueiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário