terça-feira, 25 de junho de 2013

MS pretende iniciar projeto de sistema único de pesagem de carcaça



O Estado de Mato Grosso do Sul pretende implementar este ano um projeto-piloto de um sistema único de pesagem de carcaça de carne bovina. O programa decorre de uma agenda positiva, composta de oito itens, discutida há cerca de um ano pelas entidades representativas do setor e da indústria, coordenada pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul). O diretor de Relações Institucionais da Famasul, Rogério Baretta disse que a intenção é apoiar o relacionamento entre a indústria e o produtor.

– O objetivo é apoiar cada vez mais o bom relacionamento entre indústria e produtor, minimizando e até eliminando os pontos de discórdia e desconfiança entre esses elos da cadeia, incluindo o varejo – explica Baretta. O projeto de sistema de pesagem se baseia na experiência do Instituto Nacional de Carnes do Uruguai (Inac). É uma ferramenta única de três balanças lacradas, sem operador, com auditoria externa e gestão compartilhada. As informações são enviadas para uma base de dados comum da indústria e do produtor.

– A ideia é usar o projeto-piloto para uma solução nacional. Não podemos mais chamar nosso comprador de gado de ladrão e nosso comprador não confiar no produtor. Temos que mudar esse conceito. Precisamos de um elo de confiança (produtor-indústria-varejo), senão o setor como um todo não evolui – disse o diretor.

Preços e Consebov

Baretta também informou que a Famasul, com professores e pesquisadores da área, está em fase final da elaboração de um levantamento de preço no Estado para analisar as influências dos elos na formação de preço do boi gordo e o potencial de rentabilidade que as cotações da matéria-prima podem alcançar. Conforme o diretor, o estudo foi baseado nas experiências do Consecana e do Conseleite.

– Teremos uma reunião com as indústrias para apresentação do resultado, que já me informaram que há espaço para melhorarmos a rentabilidade tanto do produtor quanto da indústria sem afetar o consumidor – disse.

A Famasul ainda pretende contribuir na melhoria dos índices das propriedades do Estado. Em parceria com instituições como Sebrae e Embrapa, em 2012, foram realizados diagnósticos e melhorias em 30 propriedades. Para este ano, a meta é incluir 120 estabelecimentos.

Sobre a criação do Conselho de Bovinocultura (Consebov) nacional, a Famasul diz apoiar a decisão, mas teria que seguir a linha de órgão regulador, privado, sem interferência, mas com a participação dos três elos da cadeia varejo-indústria-produtor. De acordo com a entidade, ainda são necessários esforços regionais para estudar e melhorar a relação dos participantes do segmento. Atualmente, em Mato Grosso do Sul, existem 36 frigoríficos, sendo 13 parados ou fechados.

Fonte:Famasul adaptado e reformulado pelo blogueiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário