domingo, 30 de junho de 2013

Paternidade de 29 touros é investigada, além de Backup



A pecuária de produção brasileira recebeu, nesta semana, a notícia de que a paternidade de touros importantes para genética está sendo investigada. Através de testes de genotipagem, pesquisadores da Universidade Estadual Paulista (Unesp) constataram que o nelore Backup, recordista em comercialização de sêmen no Brasil (600 mil doses e mais de 15 mil filhos) pode não ser filho de Fajardo da GB, como consta no registro oficial do animal. O material genético de outros 29 touros, que não tiveram os nomes divulgados, estão sendo analisados.

– Para efeito de melhoramento genético [a constatação] não altera nada. O Backup tem milhares de filhos avaliados. Com tamanha amostra, a influência do pai dele na sua produção é mínima – afirma o gerente do Departamento de Corte da Central de Inseminação da CRV Lagoa, Marcelo Almeida.

O pecuarista Luis Humberto Guimarães, que há mais de sete anos utiliza sêmen do Backup para inseminar as vacas de sua propriedade, concorda que as dúvidas sobre a paternidade do animal não interferem na confiança que ele tem nos resultados do reprodutor.

Antes de Backup completar 1 ano e meio, ele já tinha sêmen à venda. Agora, com quase 13 anos, é recordista da raça nelore e de todas as raças zebuínas no Brasil e no mundo em produção. Considerando que o touro possui cerca de mais três anos de vida produtiva, a marca deve ser aumentada em, pelo menos, 150 mil doses. O reprodutor é fruto de inseminação artificial, o que leva Almeida a acreditar em erro não-intencional na informação do acasalamento que deu origem ao touro.





– Ninguém poderia prever que esse animal seria um touro líder de mercado, líder de vendas. Então, eu não acredito na hipótese de fraude, justamente por conta dessa informação – acrescenta o gerente.



Segundo ele, assim que a empresa recebeu os resultados dos testes que apresentavam inconsistências no parentesco dos touros, no início do mês de maio, a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) foi informada. Dos 30 touros sob suspeita, 15 são puros de origem.

No dia 2 de maio, a ABCZ divulgou uma nota informando que iria estabelecer um plano de trabalho para esclarecer as dúvidas referentes aos 15 touros puros de origem registrados pela associação. O plano foi submetido à avaliação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e a decisão deve sair ainda essa semana. Esse foi o posicionamento oficial da ABCZ mesmo depois da divulgação do nome do touro Backup.

As primeiras especulações sobre o nome do verdadeiro pai de Backup já começaram a aparecer. A mais forte é de que ele seja filho de Gabinete do IZ, o que, segundo o pecuarista Guimarães, não seria ruim para futuros acasalamentos.

Fonte: CANAL RURAL adaptado e resumido pelo blogueiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário