quarta-feira, 24 de julho de 2013

Diminui ritmo de colheita do milho no MS com o frio.


Com a queda da temperatura e elevação da umidade, agricultores da região sul de Mato Grosso do Sul diminuem ritmo da colheita do milho safrinha. Em cidades como Ponta Porã e Amambai, que chegaram a registrar temperaturas negativas equivalentes a -1°C e -2°C, produtores rurais tiveram de cessar temporariamente a colheita devida a palha molhada do milho, que coloca em risco a mecânica das colheitadeiras.

Em Mato Grosso do Sul até o dia 22 de julho a área colhida alcançou 40,4% na região norte e 27,7% na região sul. A média de área colhida no Estado atualmente é de 28,2%, como aponta o Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (SIGA), elaborado pela equipe técnica da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja/MS – Sistema Famasul).

“O ritmo de colheita mais acelerado ao norte do Estado se deve ao clima daquela região que não atrapalha e o calendário da safra deverá ser mantido normalmente. Já a região sul apenas diminuirá o ritmo e a queda na temperatura não representará perdas na produção”, avalia o analista de grãos da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Leonardo Carlotto.

A média de produtividade do milho safrinha no Estado, de acordo com a Aprosoja/MS, tem sido de 100 sacas por hectare. Ao norte o município de Costa Rica tem se destacado com produtividade equivalente a média do Estado, já ao sul, apesar da baixa temperatura, Ponta Porã apresentou produtividade maior que a estadual, e os agricultores chegam a colher 110 sacas por hectare.

Segundo dados do Siga foram colhidos 2,4 milhões de toneladas do milho safrinha em MS, que ocupavam a área de 400 mil hectares. A previsão para término da colheita é para primeira quinzena de agosto.

Fonte: Famasul adaptado e resumido pelo blogueiro


Siga nos no Twitter=>@jlmmattos

Nenhum comentário:

Postar um comentário